domingo, 19 de janeiro de 2014

Isto de irmos em família acompanhando os Xutos, sempre que há disponibilidade de "tempo" (tempo é dinheiro, já dizia o "outro!), tem-nos revelado um magnífico grupo de pessoas com as quais vamos construindo um excelente relacionamento. Somos os autodenominados Xutólicos, que se juntam horas antes dos concertos. Aproveitamos para umas conversas, que vão bem para lá da música e dos Xutos. Somos umas dezenas, ora estão uns, ora outros e no final já se instituíu a foto da família. Assim como fazem os políticos, mas em bom!...
Quando lançámos o desafio para a exposição que o Ateneu Popular de Montijo têm patente, houve um que imediatamente respondeu presente. Dias antes da inauguração lá estava ele carregado de preciosidades, talvez os seus bens mais queridos, disposto a emprestar, mas, simultaneamente, muito receoso que alguma coisa se pudesse perder. Lá o convenci que as coisas ficavam em segurança...
Já nos tinhamos encontrado de modo muito esporádico, num espectáculo dos "Gritos Mudos"; nada que desse para firmar qualquer opinião, pelo menos a que dele tenho hoje, depois de termos conversado umas boas 3 horas.
Quem o vê não deverá ficar com a melhor das impressões: de gorro sempre na cabeça, tatuagens por tudo quanto é corpo visível, exibindo, sempre orgulhoso, a sua paixão pelos Xutos. Claro que a T-Shirt e o mítico blusão completam o visual.
Agora digo com satisfação que tenho mais um amigo entre os Xutólicos. Este não é dos chegam horas antes e se põe à conversa; normal é chegar atrasado, já com o concerto a decorrer. Mas é PURO, com uma sinceridade, quase ingenuidade, que, acharão alguns, é pouco própria da sua idade. Não tem vergonha de expôr algumas das suas fraquezas, pedindo desculpa por elas como se sentisse que está a incomodar. E não está!
É sincero e genuíno e gosto de pessoas assim!
Continua assim, JORGE GIGANTE; continua a seres tu mesmo!!

Fernando Sampaio

Sem comentários:

Enviar um comentário